X

O bairro de Belleville


«Todo mundo se diz tu e sobretudo, tem uma atmosfera de alegria e boa vontade.»
Robert Doisneau, fotografo francês do século XX

Scarlett escolheu o bairro de Belleville por todas as suas riquezas que ele expande sobre os quatros arrondissements, o X°, o XI°, o XIX° e enfim XX

BELLEVILLE É HISTORICA


Anexado à cidade de Paris em 1860, Belleville conheceu varias transformações arquiteturas e econômicas através dos séculos. Os Bellevillois se sentem bellevillois antes de serem parisienses. É um feito. « Cada um tem o seu Belleville », como diz Françoise Morier, autor de Belleville, Bela cidade. Esse bairro familiar é como um vilarejo na cidade, e isso desde a Idade-Média. Provavelmente as alturas da colina do Nordeste de Paris traz à seus habitantes qualquer sentimento confuso de proteção e de dominação da cidade.

BELLEVILLE É DINÂMICA


« llegamos nessa esquina como em um porto. » Jà em 1930, como diz Eugène Gabit em Les Faubourgs de Paris, Belleville era um bairro econômico hospedando todos os comércios: frutas e legumes, jornais, carnes, peixes, quadros de pintura, brinquedos, temperos… Em Belleville, se encontram tantos restaurantes chineses quantas librarias islâmicas, pastelarias casher e padarias tradicionais. Nos anos vinte locos, artistas comerciantes e residentes moravam em uma feliz sinfonia cultural, ritmada pelo nascimento dos music halls e dos vários mercados. O cinema Bellevue – localizado no 118 boulevard de Belleville – projetava filmes em yiddish. Hoje no lugar do antigo cinema cultural, se encontra a sinagoga Or-Hahaim, ligado a uma loja de informática chinesa, ela mesmo ligada a um restaurante tunisino ; todos se encontram através dos edifícios construídos por um arquiteto francês de depois de segunda guerra mundial à quem o Estado pede para relançar a economia do bairro. A força de Belleville reside na sua diversidade cultural, social, econômica e sua historia. E até hoje, nos encontramos «um bairro agitado, barulhento, obreiro e comerciante» descrevia o autor do O Aprendiz, Gustave Geffroy.

BELLEVILLE É SENTIMENTAL

Os longos passeios de domingo, os recentes joggings ativos ou ainda o mais simples passeio romântico no parque de Belleville participam a essa atmosfera vilareja. Carrinhos e bebê cruzam estudantes atrasados. Apaixonados cumprimentam alguns aposentados que olham de longe a torre Eiffel, os artistas e os transeuntes… Os comércios sempre vendem alimentação, cultura, bem-estar, viagens. Se Belleville é um dos bairros mais simbólicos da capital francesa, é também por causa da sua efervescência artística. Vários endereços como o 72, rua de Belleville, a Praça Maurice Chevalier ou ainda o 1, rua Francis-Picabia se tornaram referências imperdíveis já que elas viram respectivamente crescer Edith Piaf, nascer a reputação de Maurice Chevalier e se expandir a Associação das oficinas de Artistas de Belleville…

E por todas essas razões, também históricas, dinâmicas ou sentimentais qualquer seja, que Scarlett escolheu se instalar em Belleville e os recebem com alegria!

Ao redor


Scarlett escolheu Belleville para sua atmosfera família e dinâmico, mas também porque esta área oferece acesso conveniente a todos os lugares mais bonitos em Paris. Belleville e Ménilmontant fornecer caminhantes um lado diferente da capital. Cosmopolitan charme Belleville pela sua diversidade: um parque com gazebo oferece vistas panorâmicas do centro de Paris, a vida artística cheia de dinamismo, um grande mercado para fora ... a "aldeia" de Ménilmontant convida, entretanto, carrinhos de andar no coração das ruas estreitas, para abrir as portas de oficinas de seus artistas, short descobrir uma autêntica e popular de Paris. Ao pé da Belleville Park, Scarlett é de 500 metros a pé da emblemática Parc des Buttes Chaumont. Com cerca de 25 hectares, o parque é um dos maiores espaços verdes em Paris.

Os trajeitos Scarlett


« Não seja original, seja único. »
Zao Wou Ki, artista pintor e gravador chinês.
 

Único em oferecer-lhes trajetos de descoberta de Paris, Scarlett redefine seus itinerários turísticos para oferecer-lhes outra visão da cidade das luzes, mas insólito que os clássicos que se encontram nos guias…
Cada trajeto é fundado sobre um esquema simples e original: um arrondissement, um passo, uma obra, um restaurante, um banco, uma vista, um lugar secreto, uma praça publica, um livro, uma roupa.

Achará o seus itinerários na recepção.

Trajeto romântico : Um lugar secreto, uma obra de arte, um restaurante

Trajeto da parisiense : Uma loja, um salão de chá, um clube

Trajeto esportivo : Um itinerário, um bebedouro

Trajeto intelectual : Um autor, uma praça, um restaurante

O transporte


Poderá encontrar a venda na recepção tickets de metro e de ônibus assim que todas as informações que precise para os seus movimentos através Paris.

Adepto do taxi parisiense, Scarlett põe a sua disposição um chofer para facilitar os seus movimentos através da cidade.

Acessibilidade


O Hotel estando perfeitamente localizado, é muito fácil então chegar a Scarlett que esteja saindo do trem, do avião ou do seu carro.

Aeroporto Charles de Gaulle :
suba no RER B até a “Gare du Nord” e depois use a linha 5 (“République”) e 11 até “Pyrénées”.

Aeroporto de Orly :
suba no RER C até a “Gare d’Austerlitz” e depois use a linha 5 (“République”) e 11 até “Pyrénées”.

“Gare Montparnasse” :
uma mudança de linhas bastará para chegar ao Hotel Scarlett desde a “Gare Montparnasse”, linha 4 até “Châtelet” e depois use a linha 11 até “Pyrénées”.

“Gare de Lyon” :
Use a linha 1 até “Hotel de Ville”  e depois faça a baldeação para a linha 11 para descender em “Pyrénées”.

“Gare du Nord"  :
Use a linha 2, desde a estação « La Chapelle », até « Belleville ».

Metro :
Linha 11 – « Belleville» ou « Pyrénées » / Linha 2 – « Belleville »

Ônibus :
26 – « Pyrénées Belleville »

Livro

Instagram

01 77 38 81 81
Muito obrigado a validar o captcha
E-mail enviado